Conheça os melhores aplicativos iOS para fãs de música

Macworld / EUA
27 de novembro de 2012 às 07h00
Selecionamos apps de bandas e gravadoras tanto para quem procura algo casual quanto uma experiência mais imersiva na hora de ouvir seu artista favorito.

Notícias Relacionadas

Graças a revolução da música digital, nós agora podemos curtir de forma virtual faixas ilimitadas em praticamente qualquer lugar. Mas nós também perdemos algo ao ganhar essa habilidade de apertar o play e ouvir por horas sem fio: de muitas maneiras, prestamos menos atenção ao que estamos ouvindo. Agora também existem aplicativos para isso.

A cantora Bjork foi uma pioneira ao lançar seu disco Biophilia juntamente com seu app acompanhante em 2011. Cada uma das dez faixas do álbum tinha sua própria experiência no aplicativo, permitindo às pessoas explorarem os temas. Dessa forma, ela conseguiu criar uma experiência musical imersiva – e encontrou uma nova maneira para ouvir música.

appsmusicaios01

Outros artistas e gravadoras também estão fazendo experiências com aplicativos. E de maneiras diferentes. Desde de grandes nomes como Lady Gaga até artistas do passado como Crosby, Stills and Nash, os artistas estão reinventando a música móvel mais uma vez. Os apps apresentam aos fãs uma experiência mais rica do que um single digital poderia oferecer.

Início simples: aplicativos oficiais

Se você é um fã de um artista conhecido, ele provavelmente possui um app oficial. Taylor Swift, Madonna, Iron Maiden, Carly Rae Jepsen, The Gaslight Anthem – esses são apenas alguns exemplos de artistas que oferecem aplicativos gratuitos para iOS (e Android em alguns casos). Os aplicativos funcionam como centrais para vídeos e notícias sobre os artistas, e te permitem ouvir trechos de músicas e comprar faixas inteiras. Também é possível conversar com outros fãs.

Esses apps são menos sobre ouvir e mais sobre ser um fã. Mas se você é um deles, não há maneira melhor de acompanhar os últimos trabalhos e notícias sobre seu músico favorito.

Vá mais fundo: assinaturas

O app de Crosby, Stills & Nash para iPad oferece dois níveis para os fãs: a versão gratuita inclui trechos de músicas, a história da banda revelada por meio de turnês e fotos, e as últimas notícias sobre o trio folk. O que é algo bom e interessante para os fãs casuais – mas para os mais aficionados há muito mais. É possível virar um assinante do serviço por 4 dólares mensais e receber conteúdos exclusivos e recursos da comunidade online. Isso é um monte de Crosby, Stills and Nash.

Se você é um fã de jazz, por exemplo, não deixe de ver o aplicativo Blue Note, da Groovebug. Assim como o aplicativo do Crosby, Stills and Nash, você pode usar uma versão gratuita, ou tornar-se um assinante – neste caso, a mensalidade custa 2 dólares. Sua assinatura te dá acesso a milhares de músicas para a gravadora Blue note desde sua fundação em 1939. Com ou sem a assinatura, você pode cavar fundo na catálogo da Blue Note, aprendendo sobre cada artista e quem tocou nos diversos discos. As playlists disponibilizadas no app ajudam os novatos no estilo a se iniciarem com subgêneros como hard bop, enquanto os veteranos podem encontrar um faixa obscura em um disco do qual esqueceram. Os assinantes também podem discutir as músicas com outros fãs de jazz.

appsmusicaios02

Outro app que vale citar é um lançado há pouco tempo pelos The Rolling Stones, que acabaram de completar 50 anos de carreira. O app é gratuito, mas com uma compra de 1 dólar dentro do aplicativo o usuário consegue desbloquear vídeos exclusivos de entrevistas e shows.

Além disso, existem diversos outros aplicativos interessantes com opções de assinaturas e conteúdos mais específicos, basta dar uma busca por seus artistas ou gravadoras favoritos na App Store. Não esqueçam de deixar suas sugestões nos comentários.

Agora algo diferente

A Delaware adota uma abordagem muito diferente, que pode estar mais próxima de “Biophilia”, da Bjork, do que qualquer outra oferta. A gravadora japonesa lança álbuns como aplicativos para iOS, como por exemplo "Electric Ladyclock". O selo nipônico favorece artistas desconhecidos de música eletrônica. Mas mais do que isso, o aplicativo é sobre mais do que apenas a música – é uma maneira realmente interativa de vivenciar a música: você ouve, vê, e toca.

A música soa melhor do que seria no formato de áudio: os apps fornecem faixas com qualidade de CD em vez MP3 altamente comprimidos ou arquivos AAC. Além disos, você pode visualizar o disco rodando: à medida que as músicas tocam, um vinil virtual roda, adicionando uma qualidade à experiência. E você pode tocar no disco para movê-lo para frente e trás e fazer “scratchs”. Virar seu iPhone, iPad ou iPod Touch muda o disco de lado. A experiência é tão imersiva que o disco nem tocará em segundo plano. Você precisa se focar no aplicativo e na música que quer ouvir.

appsmusicaios03

O futuro da forma de ouvir música?

Esses aplicativos para fãs de música tem potencial para mudar como você ouve música. Pelo lado positivo, eles te fazem ficar mais engajado com o som. Você apenas aperta o play e deixa as faixas tocarem em segundo plano – você lê as letras e vê as imagens.

Mas os apps também segregam as músicas do resto da sua coleção musical. Isso muda os hábitos com os quais você se acostumou: sem mais playlists customizadas ou apertar o shuffle (modo aleatório de reprodução). Em muitas maneiras, esses aplicativos representam uma volta ao bom e velho vinil – você está mais comprometido com a experiência de ouvinte, mas sua seleção é mais limitada.

Se esses tipos de apps vão dar certo, só o futuro vai dizer. Lady Gaga anunciou recentemente que lançará um aplicativo juntamente com seu novo disco “ARTPOP”, com lançamento marcado para o início de 2013. Caso as legiões de fãs da cantora “comprem” a ideia, os portões podem se abrir de vez para a novidade.

Assine a Newsletter. É rápido. É grátis.

Mais reviews

iPhone 5

iPhone 5

  • Nota da Macworld
  • Nota do Leitor
  • 6.0

Melhora o que já era bom, com tela maior, chip mais rápido e design menor.

Mudança para o Lightning é desagradável no início; novo chip nano SIM também obriga nova compra ou adaptação; falta de suporte 4G no Brasil (por enquanto)

iPad Mini

iPad Mini

  • Nota da Macworld
  • Nota do Leitor
  • 3.9

Maior parte da experiência do iPad em pacote mais leve e fino; suporte nativo para todos os apps do iPad; ótimo desempenho, construção e design

Não possui tela Retina; alguns sites e apps parecem "apertados" na tela menor; teclado em modo paisagem é muito pequeno para uma digitação fácil