Artigo: como o novo iPhone X se encaixa nos ideais de design da Apple

Jason Snell, Macworld / EUA
14/09/2017 - 17h50 - Atualizada em 14/09/2017 - 17h51
Aparelho mostra empresa atingindo objetivo que tinha desde 2007: "criar um iPhone que fosse todo tela – um objeto físico que desaparece na experiência".

Há uma famosa citação de origem duvidosa sobre como o trabalho de um escultor é remover o excesso de pedra para mostrar a estátua que está esperando dentro. Há uma rica ideia aí sobre criatividade, visão e lutar por um ideal que está apenas esperando para ser realizado.

Os produtos da Apple não são esculturas, mas se você presta atenção na empresa há algum tempo, sabe que a fabricante de Cupertino possui uma abordagem bastante específico para criar e repetir seus produtos. Ela possui um comprometimento com a simplicidade no seu design. Produtos novos costumam chegar com vídeos elaborados explicando a filosofia do design que impulsiona as decisões tecnológicas e de produção e a execução.

No evento da Apple nesta terça-feira, 12/9, senti que dois produtos da empresa alcançaram o formato e a funcionalidade que seus criadores vem buscando desde o início da companhia: o iPhone X e o novo Apple Watch Series 3. Vamos falar um pouco sobre o smartphone abaixo.

O iPhone ideal

O traço definitivo do primeiro iPhone, lá em 2007, é que a sua parte frontal era quase que inteiramente uma tela. Não havia um teclado físico, apenas uma tela grande com um único botão na parte inferior – o agora saudoso botão Home. Mas em termos de design, encher a parte frontal com tela – sem bordas, sem botões – vem sendo o objetivo.

Teria até adivinhado isso antes, mas Jonathan Ive acabou com qualquer dúvida no evento da terça, iniciando seu vídeo sobre o iPhone X dizendo o seguinte: “Por mais de uma década, nosso objetivo era criar um iPhone que fosse todo tela – um objeto físico que desaparece na experiência”.

Isso significa que desde o início, incluindo a concepção do primeiro iPhone, a intenção da empresa era chegar a algum lugar em que toda a parte frontal do aparelho desapareça. O iPhone X está tão perto desse objetivo que acho que vou dar os parabéns para a empresa por passar no teste. Sim, há um entalhe restante na parte superior da tela para abrigar diversos sensores, como câmera, microfone e alto-falante. Talvez algum dia essa seção desapareça por completo e os sensores fiquem invisíveis ao usuário.

Mas penso que em termos gerais o iPhone X conseguiu atender ao objetivo inicial da Apple. Ele é curvado nas bordas, se assemelhando `a curva do hardware em si. Esse não é mais uma tela retangular enfiada em uma cápsula reta-redonda. As curvas que rodeiam a parte recortada combinam com as curvas em torno das bordas. Esse é um celular que parece ser todo tela, pela primeira vez. 

Assine a Newsletter. É rápido. É grátis.

Mais reviews

iPhone 5

iPhone 5

  • Nota da Macworld
  • Nota do Leitor
  • 6.0

Melhora o que já era bom, com tela maior, chip mais rápido e design menor.

Mudança para o Lightning é desagradável no início; novo chip nano SIM também obriga nova compra ou adaptação; falta de suporte 4G no Brasil (por enquanto)

iPad Mini

iPad Mini

  • Nota da Macworld
  • Nota do Leitor
  • 3.9

Maior parte da experiência do iPad em pacote mais leve e fino; suporte nativo para todos os apps do iPad; ótimo desempenho, construção e design

Não possui tela Retina; alguns sites e apps parecem "apertados" na tela menor; teclado em modo paisagem é muito pequeno para uma digitação fácil