Review: Mountain Lion deixa Mac ainda mais perto de iPhone e iPad

Jason Snell, Macworld / EUA
26/07/2012 - 07h00 - Atualizada em 28/09/2012 - 17h33
Novo sistema continua com a chegada de apps iOS ao Mac OS X e consolida estratégia da Apple de sincronizar seus recursos e aparelhos. Software custa US$20.

Notícias Relacionadas

Cerca de um ano após a chegada do Lion, a Apple está de volta com o sucessor OS X Mountain Lion - Apple, também conhecido como OS X 10.8.

Assim como seu antecessor, o Mountain Lion oferece vários novos recursos que serão familiares aos usuários iOS. Esse novo sistema continua a filosofia da Apple de levar os recursos do iPhone e iPad “de volta para o Mac”, e inclui Mensagens, Lembretes, Notas, Central de Notificações, integração nativa com o Twitter, Game Center, e espelhamento via AirPlay. Existem até alguns recursos que estão fazendo sua estreia no Mountain Lion, e depois farão o caminho inverso para o iOS 6 no próximo trimestre.

Como é o primeiro lançamento de OS X após o iCloud, o Mountain Lion oferece uma integração muito mais sólida com o serviço de sincronização na nuvem da Apple. O novo sistema também traz opções para limitar quais tipos de apps os usuários podem instalar, oferece integração nativa por todo o sistema com redes sociais e serviços de compartilhamento social, além de fornecer aos novos MacBooks a possibilidade de continuar funcionando mesmo quando eles parecem estar “dormindo”. 

Por 20 dólares (40 reais), o Mountain Lion é o upgrade de OS X mais barato desde que o 10.1 foi liberado de forma gratuita há 11 anos. Assim como o Lion, o novo sistema está disponível apenas por meio da Mac App Store. A combinação de preço baixo e a facilidade para download provavelmente tornarão esse o OS X com adoção mais rápida da história. E dadas as impressões que tivemos do software, isso é algo bom.

(Nota de compatibilidade: nem todos os Macs rodando Lion poderão receber o Mountain Lion. Para saber mais, veja nossa reportagem sobre o assunto.)

mountainlion_390.jpg

iCloud

Antes limitada, a integração com o iCloud fica muito melhor com o Mountain Lion – o que terá continuidade com o iOS 6.  Essa melhoria já começa logo na inicialização do sistema. O assistente de instalação pede sua iCloud ID para sincronizar várias das suas preferências principais- essencialmente as informações armazenadas no painel Mail, Contatos e Calendários das Preferências de Sistema. Com esse simples login, todas as suas contas de e-mail, contatos, calendários, notas, lembretes, e coisas parecidas, ficarão disponíveis no Mac que você está usando.

Apesar de pequenos problemas, o Mountain Lion deixa muito mais claro para os usuários como o iCloud vai beneficiar todos que usam produtos da Apple ligar todos eles de forma mais próxima e eliminar muito dos processos confusos com os arquivos.

Leia também:

- Vídeo: conheça as principais novidades do Mountain Lion

- Saiba como conseguir o Mountain Lion de graça

- Veja se o seu Mac pode rodar o Mountain Lion

mountainlionreview01.jpeg

Apps do iOS no Mac

Com o novo sistema, a Apple está continuando a abordagem iniciada no Lion para sincronizar o visual, o sentimento e até os nomes usados pelo OS X e iOS. A Agenda virou Contatos, como no iOS, enquanto que o iCal agora é chamado de Calendários. Mais notavelmente, há alguns novos apps que foram criados especificamente para combinar com seus correspondentes no iOS – e para sincronizar dados entre os aparelhos.

O Lembretes, que é quase igual a versão lançada no iOS 5, sincroniza seus lembretes via iCloud. Ele suporta a mesma lista de coisas a fazer já conhecida do app para iPhone e é um aplicativo indicado para quem quer essa lista básica sincronizada entre todos esses aparelhos. 

De forma parecida, o Notas será instantaneamente reconhecido pelos usuários iOS com sua interface amarela no estilo de cadernos universitários e também oferece sincronização entre seu iPhone/iPad e Mac. 

mountainlionreview04.jpeg

Aplicativo Notas traz visual conhecido dos donos de iPhone e iPad

E o novo app do Game Center finalmente traz a rede online da Apple para jogos que já existia no iOS há um bom tempo. O mais importante disso é que os desenvolvedores de games para Mac agora têm acesso ao Game Center e listas de amigos, sistema de rankings, chat por voz dentro do app, jogabilidade um contra o outro e jogo entre as plataformas da Apple. Espere por vários jogos para Mac vindos diretamente do seu iPhone ou iPad.

mountainlionreview06.jpeg

Game Center demorou mais de um ano para chegar aos Macs

Mensagens no lugar do iChat

Uma das boas adições do sistema é o sistema de comunicação Mensagens, que permite ao usuários de Mac trocarem mensagens (e imagens e arquivos) com os donos de aparelhos iOS sem pagar nada. E um botão de videochamada integrada te permite iniciar uma conversa por vídeo com aparelhos compatíveis, seja por AIM ou abrir o FaceTime.

Apesar de todas essas qualidades, o app Mensagens pode trazer algumas frustrações. Por exemplo, sempre que eu recebo uma mensagem, meu Mac, meu iPhone e meu iPad também tocam ou vibram. Não apenas no início, mas todas as vezes. Deveria haver uma maneira para a Apple detectar qual aparelho está sendo usado de forma ativa no momento da conversa. Assim, não preciso mutar meu iPad e tirar meu iPhone do bolso para poder ter uma conversa pelo aplicativo no Mac.

Outro ponto negativo é que ao abrir meu Mac após ter uma conversa com o iMessage no meu iPhone, o Mensagens abriu uma nova janela de chat e mostrou as mensagens antigas dessa conversas. Algo chato e uma forma deselegante de se começar uma conversa – além de propiciar situações constrangedoras. (O pior é que algumas vezes o app só mostra uma parte da conversa, o que não ajuda nada.)

mountainlionreview09.jpeg

App Mensagens pode trazer dor de cabeça com notificações em todos os seus aparelhos

Central de Notificações

Com o Mountain Lion, o OS X ganha um sistema de notificações nativo acessível para qualquer desenvolvedor, que traz muito do que já encontramos no iOS. Os alertas aparecem no lado direito da tela, em uma pequena bolha. Os banners das notificações ficam lá por cinco segundos e depois somem. A Central de Notificações pode ser acionada por meio de um botão no lado superior da tela ou por um comando no trackpad.

Trazendo boas opções de customização, a Central de Notificações te permite “fugir” desses avisos para que elas não atrapalhem sua vida, dependendo do contexto, e é certamente uma adição útil ao seu Mac.

mountainlionreview10.jpeg

Central de Notificações é uma boa adição para organizar seu dia-a-dia no Mac

Gatekeeper de olho nos seus apps

Esse novo recurso, que pode ser encontrado no painel de Segurança e Privacidade das Preferências de Sistema, adiciona um nível de proteção intermediário entre apps totalmente aprovados pela Mac App Store e arquivos aleatório baixados de fontes desconhecidas na Internet. É a tentativa da Apple trazer uma segurança mais parecida com a encontrada no iOS mesmo que os aplicativos que eles usem não sejam da Mac App Store. E é uma ideia.

A maioria das pessoas só vai se deparar com o Gatekeeper quando tentar baixar um app que não foi atualizado com a assinatura de um desenvolvedor. Você pode desabilitar o Gatekeeper por completo, mas também é possível abrir apps não-identificados manualmente. Apenas clique no app com a tecla Control apertada no Finder e escolha a opção Abrir (Open). O Gatekeeper não vai te impedir. 

E vale notar que, como o nome sugere, o Gatekeeper, não é um sistema que verifica seu Mac de forma contínua em busca de malware. Ele só funciona na primeira vez que você tenta abrir um app. Passado esse portão, não há mais segurança.

macappstore390x254.jpg

Gatekeeper permite controlar quais apps podem ser instalados no seu Mac

Serviços sociais e de compartilhamento

Em uma tentativa de reduzir a quantidade de passos necessários para compartilhar posts nas redes sociais, a Apple adicionou um botão de compartilhamento na maioria de seus apps e forneceu acesso aos desenvolvedores para essa mesma funcionalidade. Quando você clica no botão Compartilhar em um app (conhecido dos usuários iOS), verá um menu pop-up listando várias maneiras de compartilhar o item com o qual está trabalhando.

Para estender isso, a companhia de Cupertino integrou de forma nativa o Twitter e o Facebook (disponível só no final do ano), assim como os serviços Flickr e Vimeo, entre outros, com o novo Mountain Lion.

No Safari, o botão de Compartilhar te permite postar um link no Facebook ou Twitter, adicionar um favorito, enviar um link via Mensagens, adicionar uma página a Lista de Leitura, ou enviar uma reportagem por e-mail.

Você pode adicionar as informações das suas contas do Twitter e Facebook à preferência de sistema Mail, Contatos e Calendários. Uma vez que tiver feito isos, fica fácil e rápido compartilhar itens em praticamente qualquer lugar por meio do menu Compartilhar ou com os botões no topo da Central de Notificações. 

A integração com o Facebook e o Twitter vai além disso. O Mountain Lion pode sincronizar com sua lista de contatos do Facebook, para que todos os seus amigos da rede social apareçam nos Contatos, por exemplo. 

Ditado

O recurso de Ditado, já disponível anteriormente no iPhone 4S e no iPad de terceira geração, finalmente chega ao Mac. A engine do serviço parece ser idêntica à encontrada no iOS e exige uma conexão com a Internet. Vale notar que o Ditado e o Siri são funções separadas e o Mountain não oferece o Siri.

É claro que há ferramentas pagas melhores por aí, mas não deixa de ser uma ótima adição ao sistema da Apple. O Ditado apresentou bons resultados em nossos testes, mas infelizmente não possui suporte para o nosso português – assim como o Siri.

MacBooks sonâmbulos

Agora, os MacBooks mais recentes podem desfrutar do mesmo "sonambulismo" dos aparelhos iOS, que continuam fazendo coisas quando estão dormindo, como checar seu e-mail, emitir alertas e sons, e até mesmo fazer backup. Tudo isso com o novo recurso Power Nap.

Para ligar e desligar o Power Nap, é preciso acessaro painel de controle Economizador de Bateria (Energy Saver). Por padrão, ele fica ligado quando seu notebook está ligada na tomada e desligado quando está na bateria, mas é possível personalizar essas opções.

O recurso funciona ao acordar periodicamente seu MacBook mesmo quando ele está fechado, mas não é o despertar conhecido. Os ventiladores/coolers não giram e a tela não liga. E como o Power Nap só funcione em sistema que usam armazenamento em flash (em vez de HDs comuns), o acesso ao disco também é silencioso. De fora, você nunca saberia que ele está acordado.

A novidade é ótima, já que você não espera que seu iPhone ou iPad fiquem “mortos” para o mundo quando estão dormindo. O próximo passo, obviamente, é a Apple liberar o acesso ao Power Nap para determinados apps de terceiros. Os usuários de serviços de backup certamente adorariam isso.

O ponto negativo é a restrição para os modelos de Macs. Atualmente, o recurso só funciona com o MacBook Air 2011 ou 2012 ou com o novo (e caríssimo) MacBook Pro Retina. Mas no futuro isso deve mudar.

macbookproretina01.png

Recurso Power Nap ainda é limitado a poucos Macs, como novo MacBook Pro Retina

AirPlay

Sim, mais um recurso do iOS que chega ao Mac. E que promete trazer muitas facilidades aos donos de computadores da Apple. Agora, os usuários podem exibir os conteúdos da tela do seu Mac em qualquer aparelho de vídeo conectado a uma Apple TV (a partir da segunda geração).

Quando um Mac de 2011 ou mais recente com o Mountain Lion “sente” a presença de uma Apple TV na rede local, um ícone do AirPlay aparece na barra de menu. Clique nele e seleciona uma Apple TV, e seu desktop será duplicado na TV a qual está conectada. Por padrão, as imagens da sua tela são reduzidos para uma escala menor, mas é possível ajustar isso nas Preferências de Sistema para que o vídeo na tela do Mac fique em uma escala correspondente à sua HDTV.

Safari

O Safari 6 está disponível para os usuários do Mountain Lion e do anterior Lion (com menos recursos, já que alguns são exclusivos do novo sistema). 

E, curiosamente, a maior adição ao navegador da Apple foi feita por uma subtração: a caixa de busca próxima à barra de endereços desapareceu. Em vez disso, como no rival Google Chrome, a barra de endereços também é o seu campo de buscas.

Outras boas novidades do Safari incluem as Abas do iCloud, um ícone na barra de ferramentas do browser que mostra uma lista de todas as páginas que você tem carregadas em todos os seus aparelhos, e a Lista de Leitura, que agora oferece um modo para leitura offline.

Além disso, o navegador recebeu diversos recursos interessantes, como a nova Visualização em Abas, o Compartilhamento Integrado, e a opção de privacidade Do Not Track.

A Apple afirma que a performance do Safari em JavaScript melhorou, e que é a melhor entre os principais navegadores com o benchmark SunSpider. Em testes com o benchmark em questão com um MacBook Air 11, encontrei resultados quase idênticos entre Safari, Chrome e Firefox – esse último foi até um pouco mais rápido que o Safari, que ficou levemente à frente do Chrome.

Uma reclamação menor, que talvez nem todos os usuários se importem é que notei que as páginas parecem carregar de forma mais lenta no Safari 6. E a barra de status na parte inferior da janela não aponta mais que está buscando por domínios e carregando diversos elementos da página. Na maior parte das vezes, isso não incomoda, mas quando encontro uma página que demora a carregar, é algo um pouco frustrante – não há nenhuma indicação do que está acontecendo.

Mail 

O Mail não recebeu um grande upgrade no Mountain Lion, mas seu suporte para a Central de Notificações causou a adição de um grande recurso: lista de VIPs, que permite que você marque determinados contatos como “especiais”. Assim você só receberá notificações de novas mensagens dessas pessoas. O programa de e-mails da Apple continua não sendo perfeito, mas com certeza melhorou bastante com essas duas funcionalidades.

Novos recursos em todos os aparelhos

A maior novidade do lançamento do Mountain Lion não é um recurso em especial. Mas sim a nova dedicação da Apple para um ciclo anual de lançamento do OS X, e mais importante, uma agenda que está sincronizada com a chegada do iOS.

O Lion – e o Mountain Lion em uma extensão menor – oferece vários novos recursos que foram trazidos de volta do iOS para o Mac. Mas o novo sistema também oferece algumas funcionalidades que chegarão ao inédito iOS 6 no próximo trimestre. 

A nova estratégia de sistemas da Apple não é apenas copiar o iOS para o Mac, como algumas pessoas disseram no ano passado quando o Lion foi anunciado. Em vez disso, o pensamento da Apple é liberar recursos em todos os seus aparelhos, em ambos os sistemas, ao mesmo tempo – ou ao menos o mais próximo possível disso.

Parece que, no geral, a Apple não está mais focada em recursos do Mac ou do iPhone ou do iPad quanto está em recursos em si, manifestados de maneiras apropriadas em todos os seus diferentes produtos. Sempre teremos recursos que são alterados para as interações muito diferentes que os usuários possuem com seus iPhones ou MacBooks, mas a maioria das ideias básicas chegará a todos os sistemas e aparelhos, e a maior parte deles será sincronizada com o iCloud.

novoipad_apps.jpg

Sincronia entre iOS e OS X: Apple agora pensa em recursos de forma geral

Para aqueles que argumentariam que esses recursos diminuem o Mac, tornando-o um aparelho mais simples, mais parecido com um “iPad com teclado” do que com um computador para serviços pesados, eu apontaria uma ferramenta como o Power Nap. Permitir que seu MacBook Air faça backup de maneira wireless enquando está fechado e dormindo não parece uma regressão, mas sim uma manifestação da filosofia “sempre ligado”do iOS, traduzida em um recurso essencialmente focado nos Macs.

Sim, alguns recursos que a Apple introduziu no Lion e no Mountain Lion são especificamente criados para usuários novos e novatos, e isso é apropriado pela quantidade deles que temos. Mas recursos como LaunchPad e Gatekeeper e Documentos no iCloud são facilmente ignorados ou deixados de lado por usuários mais avançados. No Mac, a Apple parece ter escolhido um caminho que torna a experiência melhor para os usuários novos sem estragar as coisas para os veteranos.

Conselho de compra da Macworld

Dito tudo isso, achei o Mountain Lion um sistema sólido e estável. Até mesmo as versões prévias dele eram bem mais estáveis do que viemos a esperar dos betas anteriores do OS X. Isso me fez pensar se a nova agenda anual da Apple está levando a atualizações incrementais mais cuidadosas (com menos bugs) em vez de intervalos maiores (com problemas maiores e piores).

Tradicionalmente, ao final de um review de sistema operacional, você esperaria uma discussão sobre se o upgrade vale o dinheiro. Mas por 20 dólares (40 reais – e isso pela compra única que pode ser usada em até cinco Macs), o preço não é um problema. Você tem um iPhone ou iPad com o qual vai atualizar para o iOS 6 no próximo trimestre? Ou vai comprar o próximo smartphone da Apple, quando ele for lançado (provavelmente em outubro)? Quer ter acesso aos últimos recursos que a Apple está lançando em toda sua linha de produtos? Se sim, sua resposta é definitivamente sim.

O Mountain Lion é o próximo passo depois do Lion. É o estado atual de arte da Apple. Se você está rodando o Lion (ou até mesmo o anterior Snow Leopard), recomendo subir a bordo.

OS X Mountain Lion

PRÓ
Novos recursos do iOS são mais do que úteis no Mac; preço baixo; sincronização com iCloud está muito melhor; Power Nap é ótima adição
CONTRA
App Mensagens precisa de alguns ajustes; recurso Power Nap ainda é muito restrito

Fabricante: Apple

Preço: US$20

Assine a Newsletter. É rápido. É grátis.

Mais reviews

iPhone 5

iPhone 5

  • Nota da Macworld
  • Nota do Leitor
  • 6.0

Melhora o que já era bom, com tela maior, chip mais rápido e design menor.

Mudança para o Lightning é desagradável no início; novo chip nano SIM também obriga nova compra ou adaptação; falta de suporte 4G no Brasil (por enquanto)

iPad Mini

iPad Mini

  • Nota da Macworld
  • Nota do Leitor
  • 3.9

Maior parte da experiência do iPad em pacote mais leve e fino; suporte nativo para todos os apps do iPad; ótimo desempenho, construção e design

Não possui tela Retina; alguns sites e apps parecem "apertados" na tela menor; teclado em modo paisagem é muito pequeno para uma digitação fácil

Social Media @Macworld